Johnny foi à guerra e se deu MUITO mal

Embora antibelicista, Johnny vai à guerra (Johnny got his gun, 1971) é trimassa. É de 71, porra, não me confundam com nem dêem atenção à versão 2008 – que eu acabei de saber que existe e que traz O CARA DO THE O.C. como protagonista.

Não que eu seja pró-belicista, mas estou longe, muito longe de ser anti, como era o Dalton Trumbo, escritor e diretor do filme em questão. Ele ainda escreveu roteiro de vários filmes do mesmo teor, além de Papillon e do Spartacus do Kubrick. Evidentemente ele se fudeu com o mccarthysmo.

Até então eu só conhecia o filme por saber qual era a história e por ver cenas no clipe da melhor música do Metallica – One – que está no final do post. Johnny vai pra guerra, a Primeira, defender a democracia, e toma um MEGATON na lata. Além de sofrer queimaduras e arranhões, ele perde o braço esquerdo, o braço direito, a perna esquerda, a direita, dois olhos (não mencionam o ânus), não perde as orelhas, mas fica surdo, fica banguela e sem língua, impossibilitado de falar. O resto funciona, mas os médicos milicos não consideram que entre esse resto está o CEREBRINUS de Johnny: Johnny está consciente.

Os anos passam.

Inside I am screaming.

If I had arms, I could kill myself.

Anúncios
Explore posts in the same categories: filmes, vídeos

6 Comentários em “Johnny foi à guerra e se deu MUITO mal”


  1. http://www.sentinelas.org/reinada/?p=430

    (Nossa. Isso é de quase 4 anos atrás) 😉

  2. felipeta Says:

    pode crer……
    belo texto, king!

    agora tem em dvd nacional, lançado pela AURORA DVD.


  3. Bem lembrado. Vi pra vender na Cultura. Está na minha lista de desejos.

    O livro eu achei por 10 pila na Americanas, nessa época que escrevi o texto. Quero ver se eu acho a primeira edição do livro, que teve um título diferente: “Uma arma para Johnny”.

    Obrigado! 😉

  4. Dora Says:

    Coisorrível ficar sem tudo essas coisas. Eu hein?


  5. Porra, que estória trágica hein…Eu gosto de filmes dramáticos assim…deve ser show…Vê-lo-ei assim que puder. Imagine o cara querer se matar e nem ter a perspectiva de poder fazer isso algum dia…o cara é inútil até para se matar…pela descrição que você deu, o cara é um “cotoco”, né?[sem braços, pernas, etc.]. É um cotoco jogado numa cama…Pelo que eu li, parece que há um monólogo interior, pelo qual a gente fica sabendo o que se passa na cabeça do personagem…que trágico…fiquei realmente interessado…!

  6. felipeta Says:

    exatamente isso, bonfante. ler o texto do link do marcos ludwig (acima) ajuda, já que eu optei pela “comédia” no meu eheh.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: