The Muscles from Brussels

Nos anos 90 a America Video foi responsável por pérolas em VHS. Minha infância e pré-adolescência, dominadas pelo Schwarzenegger e pelo Braddock, entre outros, conheceram Jean-Claude Van Damme, o full-contact, o kickboxe. Estrela de 4 clássicos filmados ainda nos anos 80, o belga virou febre. Até hoje O Grande Dragão Branco (1986) é figura fácil na Sessão da Tarde e em alguns canais da Net. Retroceder nunca, render-se jamais (1986) pipocava na Bandeirantes e – em forma de pôster – na porta do meu quarto. (Naquela época, a Band era Bandeirantes e cartaz era pôster). Em 89, o Vandãime filmou Cyborg – o Dragão do futuro e Kickboxer – o desafio do Dragão, e aí chegaram os anos 90 e, quando viu, Van Damme já tava falando português no programa do Gugu, baixando as calças, tentando largar a cocaína.

Então veio Garantia de Morte (1990), cujo diretor (Deran Sarafian) assinou episódios de House em 2006 e 7. No ano seguinte, Duplo Impacto, em que o Van Damme interpretou gêmeos; volta o diretor e roteirista Sheldon Lettich (de Dragão branco e Rambo III). Soldado Universal veio em 92, com o ex-Ivan Drago e já meio decadente Dolph Lundgren; foi a primeira produção americana do Roland Emmerich, que depois foi fazer os blockbusters Independence Day (1996) e Godzilla (1998). Em 1993 Jean-Claude levou para Hollywood o John Woo, com O Alvo.

Para os espertos, como eu e meus amigos, John Woo já existia nas locadoras, com obras-primas made in Hong Kong jamais igualadas, quais sejam: The killer (1989), o drama avassalador sobre a guerra do Vietnã Bala na cabeça (1990) e Fervura máxima (1992). Daí saiu o Chow Yun-Fat, de O tigre e o dragão.

Voltando ao Van Damme. Em 1996, Risco máximo levou Ringo Lam para os EUA. Outro cara de Hong Kong, que fez esse filme, inspiração para o Cães de aluguel do Tarantino. Ainda nesse ano, Jean-Claude quis escrever e dirigir, e lançou Desafio mortal, que segue o mesmo esquema do Dragão branco, de lutar contra lutadores de vários países, mas se passa nos anos 20. Também é uma barbada das tardes da Globo. No ano de 1997 eu fui ao cinema prestigiar A colônia, é óbvio: Van Damme + DENNIS RODMAN + Mickey Rourke. Todos sabemos que, em determinado momento dos anos 90, o Mickey Rourke estava todofiadaputa de plásticas. Era necessário assistir ao freak show. E foi com esse filme que chegou aos EUA o Tsui Hark, que fez Máscara negra (1997), que abriu as portas hollywoodianas para o Jet Li, que todo mundo já conhece do Herói (2002) do Zhang Yimou.

No final dos anos 90, tudo mudou, e eu não vi mais filme do Van Damme. Até ontem, quando peguei por acaso, no Telecine Premium, Até a morte, um DRAMA POLICIAL evidentemente sofrível. É assim que está o nosso Muscles from Brussels, no filme:

Eu não poderia deixar passar, convenhamos.

E ano passado eu li sobre JCVD, que foi lançado esse ano e deve ser trimassa.

Anúncios
Explore posts in the same categories: filmes

3 Comentários em “The Muscles from Brussels”


  1. Me choquei com a velhice do JVCD. Grato por esse serviço, Felipeta!

  2. felipeta Says:

    loucura, né. quase cinqüentão, o nosso vandãime.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: